Julho verde é o mês dedicado à prevenção do câncer de cabeça e pescoço


A Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço (SBCCP) aproveitou o mês de julho, onde é celebrado o Dia Mundial de Conscientização e Combate ao Câncer de Cabeça e Pescoço (27), para promover a campanha #JulhoVerde, com atividades de conscientização e informação no combate a este tipo de doença.

Em 2018, o tema escolhido para a campanha foi “Quem ama inclui” – #EntreNessa – com foco nas sequelas psicológicas e funcionais irreversíveis que prejudicam a qualidade de vida do paciente e sua reinserção na sociedade.

O #JulhoVerde divulga informações sobre esses tipos de cânceres, que têm como principais fatores de risco o tabagismo, o consumo de álcool e as infecções por HPV.

De acordo com as estimativas do Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de cabeça e pescoço, que inclui câncer de boca, laringe e demais sítios dessa região, é hoje o segundo mais frequente entre os homens no Brasil, atrás somente do câncer de próstata.

“A campanha é mundial e surgiu em 2014. No Brasil, o Dia Mundial virou, na verdade, um mês inteiro de informação e orientação que busca atingir o maior número possível de pessoas. A importância do Julho Verde é de que estamos abordando uma doença muito comum. Se agruparmos os casos novos de câncer de boca e de laringe, o câncer da cabeça e pescoço como um todo é o segundo mais comum no sexo masculino no Brasil”, destaca o Prof. Dr. Rogério Dedivitis.

O tabagismo está relacionado a 97% dos diagnósticos de câncer de laringe. O álcool, associado ao fumo, aumenta o risco em 10 vezes para câncer nessa região.

A infecção pelo HPV (Papilomavírus Humano) tem contribuído com o aumento na incidência da doença em jovens nos últimos anos em virtude da falta de uso de preservativos na prática do sexo oral. Esta é uma tendência mundial, que também já é identificada no Brasil.

“Tradicionalmente, o câncer da boca, faringe e laringe está fortemente associado ao cigarro. O combate ao tabagismo é, sem dúvida, a principal estratégia de prevenção primária. Entretanto, a infecção pelo HPV é um fator causal muito importante para o câncer da orofaringe e aqui também cabem medidas de conscientização quanto ao sexo protegido e a realização de campanhas de vacinação específicas.”, completa Dedivitis.

Fonte: Diário do Litoral

Facebook Comments